sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Lixo,desafios e compromissos

Todo dia nós produzimos lixo, é inerente a condição humana. Chamamos de lixo, qualquer resto de atividade humana, considerada pelas pessoas como indesejáveis, descartáveis ou inúteis.Cada brasileiro produz cerca de 300 quilos de lixo por ano, mas a pergunta que queremos responder é, para onde vai o lixo depois que jogamos fora? Qual o comprometimento que cada um de nós temos, ou jogamos tudo a cargo das prefeituras?

O lixo sempre acompanhou o homem ao longo das suas décadas. Na Idade Média acumulava-se pelas ruas e imediações das cidades, provocando sérias epidemias e causando milhões de mortes. Isso só veio a melhorar depois da vinda do homem do campo para a cidade, com o processo de urbanização e a medicina.



O lixo traz alguns problemas ambientais, de saúde, sociais e econômicos.  Nas cidades que contam com serviços de coleta do lixo esse lixo é armazenado em dois tipos de depósitos: os lixões nos quais os dejetos ficam expostos a céu aberto e os aterros sanitarios onde o lixo é enterrado e compactado. Os lugares que abrigam os depósitos de lixo geralmente estão localizados em áreas afastadas das grandes áreas urbanas das cidades. 

Agora que começamos a falar sério, temos que fazer uma reflexão, que nas comunidades carentes, na maioria dos casos, essa coleta de lixo não passa, aí terá um grande problema, porque esses lixos são depositados em locais impróprios, como encostas, rios e córregos. Com esse lixo o acúmulo, de insetos, como baratas, moscas e até ratos irão causar vários tipos de problema a nossa saúde, como: leptospirose, dengue e a peste bubônica. Muitas crianças dessas comunidades sem espaço para brincar acabam desenvolvendo essas doenças por estarem descalços, sem camisas e sem nenhum saneamento básico para essas comunidades.

O lixo acumulado produz um líquido denominado de chorume, esse possui coloração escura com cheiro desagradável, a substância gerada atinge as águas subterrâneas.

Os aterros sanitários ,¨lixões¨ nos mostram alguns problemas sociais e ambientais porque tem pessoas que vão em busca de papel, latas, para vender, algumas em situações miseráveis procuram alimentos, restos para o consumo algumas vez contaminados, restos hospitalares que são jogados juntamente a alimentos, demonstrando a falta de compromisso do governo com a população.

Algumas soluções simples para o tratamento do lixo nas grandes capitais brasileiras já provaram ser eficientes.Temos,portanto,que encarar como um problema que necessita de solução a partirmos para a prática.

-Acondicionamento do resíduo sólido(lixo);
-Transporte do resíduo sólido(lixo);
-Coleta seletiva;
-Reciclagem.Veja Mais .
-Armazenamento de resíduo final.

Debates nas escolas, campanhas que orientam comunidades, construção de aterros sanitários e fiscalização com a coleta de lixo nos dias certos e com seus vizinhos são algumas das primeiras atitudes que nós e os políticos devemos tomar.Sem isso não há progresso.Todos trabalhando juntos,podemos aumentar o padrão de vida de cada cidadão.

Mantenha sua cidade,sua rua,sua calçada limpa.Tenha conscientização daquilo que você mesmo produz,pois um dia pode virar contra você.E depois não adiabta reclamar.


                                                                                                  Foto Fernanda Moraes.

 
Lixo é no Lixo.












Reciclagem de lixo urbano

O lixo acumulado e mal cuidado compromete diretamente o meio ambiente causando a poluição do solo, do ar, das águas, afetando também a condição sanitária da população. Por isso, é muito importante que se encontrem formas de gestão e destinação adequadas para que se possam administrar de forma eficiente os problemas causados pela sua produção e acúmulo desordenados, minimizando seus malefícios sócio-ambientais. Segundo a Pesquisa Nacional de Saneamento Básico (PNSB), divulgada pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – os dados (1991) sobre a disposição dos resíduos nos municípios nacionais somente 1% passam por algum tratamento do tipo reciclagem ou compostagem. A produção do lixo é um problema que exige mudança de comportamentos e de atitudes culturais. Em uma palavra, o lixo é também uma questão de educação. Quer dizer, que é preciso incutir em cada cidadão que a vida em sociedade é responsabilidade de todos. Trata-se de repensar o estilo de vida moderna que é predatório e “descartável”.


A reciclagem é considerada por técnicos, engenheiros ambientais, administradores públicos e cidadãos conscientes como a solução definitiva para as toneladas de lixo urbano produzidos. É preciso reciclar mais materiais e também investir na construção de novas áreas que suportem o armazenamento deste material. A reciclagem permite uma grande economia de insumos e energia, preservando o meio ambiente. Trata-se de um processo de transformação de materiais para reaproveitamento, passando por uma alteração de sua es­trutura química e/ou física. Existem duas maneiras de reciclar: uma é a artesanal e a outra, industrial. De forma artesanal é pos­sível reciclar materiais orgânicos, como os restos de comida, através da compostagem (processo em que o produto final é o adubo para as plantas) ou reciclar papel (processo trabalhoso, mas muito simples).

 De forma industrial, existe a recicla­gem do vidro, do metal, do plástico e do papel. Se o material reciclável for colocado no seu devido lugar, desde o momento em que é descartado, possibilita-se um melhor aproveitamento dos dejetos e a quantidade de lixo será muito menor. Por isso, a coleta seletiva é de enorme importância em todo esse processo.

                                                                              Foto Fernanda Moraes
A coleta seletiva exige o esforço de todos. O sucesso da coleta seletiva está terminantemente ligado aos investimentos feitos para sensibilização e conscientização da população. É um exercício de cidadania, no qual os cidadãos assumem um papel ativo em relação à salubridade da vida na cidade porque os lixos produzidos pelos seres humanos provocam inúmeras doenças. Estima-se que no Brasil estão em ação mais de 500 mil catadores de lixo, pessoas que sobrevivem dessa coleta. Considerada uma atividade autônoma ou por conta própria, a “catação de lixo” aparece como parte de um processo coletivo e combinado de trabalho que começa na rua e continua na fábrica de reciclagem. Esses trabalhadores, no entanto, estão apartados das condições sociais que lhes asseguram os meios de proteção legais e institucionais, relacionados ao seu estatuto de trabalhador, criando outro problema social.


Para continuar vivendo neste planeta deve-se assumir um compromisso com o meio-ambiente, quer dizer, com os recursos naturais de que ainda dispomos, minimizando os impactos ambientais que o modo de vida econômico capitalista causa.


Por Marina Gioseffi

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Sem educação não dá!

Nunca a questão do lixo foi tão discutida por todo o mundo.Não só a questão do lixo,mas a reciclagem,o aquecimento global...Amazônia!
Se você tem mais de 25 anos não teve incentivo algum,na sua educação formal,para reciclar o lixo ou pintar o telhado da sua casa com cores claras contra o aquecimento.Posso afirmar que você nem imaginava o tamanho do buraco da Camada de Ozônio.Você sabe que existe um,né?

Nunca houve um incentivo pois a questão do lixo estava longe de ser discutida.Há 25 anos atrás a Amazônia ainda era nossa,agora é "patrimônio mundial".Ao longo desses anos as sacolinhas plásticas viraram inimigas número um do planeta.Uma delas,uma só,demora 300 longos anos para se decompor...E você aí guardando pra usar na sua lata de lixo!Enquanto você está lendo esse texto,mais de 1 milhão de sacolinhas plásticas já foram produzidas em todo o mundo,no final do dia de hoje serão ao todo 1,4 bilhão delas.Multiplique por 300.
Acha pouco?Ou já se deu conta que a questão do LIXO é quase caso de polícia.É caso de saúde ,de educação.É responsabilidade minha e sua.De todos nós que ainda queremos um mundo,uma cidade limpa e longe de toda poluição que no cerca.Olha a cidade de São Paulo,é linda de cima,mas presta atenção na camada do ar poluído.Isso não estava assim há 25 anos atrás...Dizem que estar em São Paulo,hoje,é como fumar 3 cigarros por dia.É ou não um absurdo?


Sim.Nós temos uma certa dificuldade cm o lixo.Sempre foi dito que eles iriam pros aterros,caminhões laranjas de lixo,responsabilidade do Governo.Mas passa a ser responsabilidade nossa a partir do momento que CENTENAS de famílias sobrevivem e moram em aterros,em lixões.E você?O que você faz com o seu lixinho?Coloca na calçada?E o seu óleo?Direto na pia?Desculpe-me mas você é tão mau-educado quanto aquela pessoa que joga a latinha de refrigerante da janela do carro.Deculpa,mas ninguém é obrigado a viver em uma cidade suja.Por isso,é preciso ensinar ao seu filho,ao seu sobrinho sobre a importância do lixo.Falar pra onde ele vai,sem essa de aterro,de lixão,de caminhão laranja e Governo.É preciso que a educação formal se atente a questão do lixo,de saneamento básico e saúde.

Coleta seletiva na Escola Municipal Euclides da Cunha na Zona Oeste do RJ.


Qualquer criança sabe,hoje,que a Amazônia não é do Brasil...Ela É o Brasil.Cada criança é responsável por seu papelzinho de bala,não multiplique por dois já que você não sabe pra onde seu lixo vai.

Ouça a entrevista da Coordenadora Pedagógica Cláudia Viana sobre a coleta seletiva nas escolas.




video


Por Fernanda Moraes




Um modelo de cidade

As cidades modelos podem ser identificadas através se seus projetos que obtém sucesso com suas formas de recolher e tratar o lixo. Como exemplo no Brasil, Curitiba sai na frente, pois 70% da população contribui com a coleta seletiva. Tudo começou em 1989 e hoje atinge todos os bairros, fazendo parte da cultura da cidade, ajudando ainda mais a iniciativa do governo local que é destaque nos investimentos e nas formas de reciclagem.
O Brasil produz cerca de 115 mil toneladas de lixo por dia, 30% é composto de material como papel, latas, vidros e plásticos, 35% desse lixo poderia ser reciclável ou reutilizados, outros 35% poderia se transformados em adubo orgânico, mas o pais recicla menos de 5% do lixo urbano.
                                                   Estrutura dos pontos de coleta em Zurique


A maior cidade da Suíça – Zurique, classificada como uma das mais ricas do mundo – situado no centro da Europa se destaca: lá, a população, o governo, a indústria e o comércio trabalham juntos em projetos de reciclagem. Há 20 anos uma empresa – a Kompogas – iniciou seus estudos com o lixo orgânico:cada tipo de lixo tem uma maneira apropriada para ser tratado, existem hoje 10 fábricas em funcionamento em toda a Suíça, sendo que 5 delas ficam em Zurique.
 Kompogas recebe o lixo orgânico de comunidades, supermercados, hotéis e rede de lanchonetes, eles são responsáveis pelo o destino do lixo produzido.
Para essas companhias e até mesmo para a prefeituras fica mais barato reciclar o lixo orgânico do que simplesmente “jogá-lo no lixo”. Lá, o governo e os
departamentos municipais de coleta só recolhem o lixo - seja domiciliar ou industrial, não vale à pena queimar o lixo,além de ser crime e render uma multa de,no mínimo,500 reais.
É possível encontrarmos nítidas diferenças culturais em um mesmo país,como o nosso.Embora exista uma certa distância,Curitba e o Rio de Janeiro não ficam tão distantes assim.Na cidade do Rio de Janeiro podemos encontrar inúmeras ONGS sobre reciclagem do lixo,como a "Doe seu lixo" criada pela atriz Isabel Fillardis.A ONG trabalha com a coleta seletiva e a partir dela,angariam-se fundos para vários projetos sociais.
Mas esse tipo de projeto não é suficiente,já que a cidade do Rio de Janeiro está entre as dez cidades que mais produzem lixo no país,logo abaixo da cidade de São Paulo que produz mais de 12.000 toneladas de lixo por dia.Mesmo com as reciclagens ,é possível encontrar bairros que ainda hoje,não possuem saneamento básico e coleta de lixo como o bairro de Pedra de Guaratiba,na Zona oeste do Rio de Janeiro.
Esgoto a céu aberto em Pedra de Guaratiba

É preciso que ONGS,população e Governo trabalhem a favor do lixo,da reciclagem,e acima de tudo,da saúde.Você sabe qual o destino do SEU lixo?

Por Francisco Cleiton Nobre

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Saúde ameaçada na Baía de Guanabara

Na foz do São João de Meriti, um dos rios mais importantes para o ecossistema da Baía de Guanabara, não há mais vida.


Com um índice de 20 à 25 toneladas de lixo doméstico e hospitalar sendo extraídos todo mês, fica fácil compreender porque o lixo e o esgoto já eliminaram todo o oxigênio da água dos principais rios que rodeiam a baía e sete deles estão mortos.

Lixo na Baía de Guanabara - Foto: Gustavo Coimbra (OGLOBO)

No meio do manguezal, seu habitat natural, até o caranguejo sabe que daqui para frente é risco de vida. Não só o caranguejo, mas também os pescadores, que podem ser vistos diariamente nos manguezais capturando estes caranguejos.


O risco de contaminação é muito evidente, principalmente porque qualquer tipo de lixo pode ser encontrado dentro da Baía de Guanabara, inclusive seringas hospitalares já utilizadas, que não são raras de se encontrar no mangue.


Mas a maior ameaça à população que vive nas redondezas da Baía de Guanabara não são apenas os objetos encontrados no lixo, são os resíduos sólidos perigosos que são despejados pelas indústrias de grande porte localizadas na baía.

Foto: Ian Mello de Oliveira
Veja abaixo alguns tipos de lixo industrial perigosos que são despejados na Baía de Guanabara e o impacto destes na saúde da população:


RESÍDUOS CONTENDO ALCATRÃO


O alcatrão é composto por hidrocarbonetos aromáticos. Alguns deles, em altas concentrações, se tornam carcionogênicos, devendo-se evitar o contato destas substâncias com a pele.


O envenenamento pode ocorrer por inalação, ingestão ou absorção cutânea. O efeito local é irritante e relativamente forte, produzindo eritema, queima e casos graves de edema.


O alcatrão disposto no solo é perigoso, podendo haver a formação de compostos secundários letais na forma de vapores ou em forma líquida ou particulada nas águas superficiais ou subterrâneas. Os resíduos contendo alcatrão são provenientes da Indústria Metalúrgica.


RESÍDUOS CONTENDO ÁCIDO SULFÚRICO


O ácido sulfúrico em contato com a pele causa uma rápida destruição dos tecidos, causando queimaduras graves. Os contatos repetidos com soluções diluídas provocam dermatite, e as inalações repetidas ou prolongadas causam inflamações do trato respiratório superior.


Os fumos são irritantes às membranas mucosas dos olhos. A pneumonia química pode ser resultante da exposição a altas concentrações.


A disposição dos resíduos contendo ácido sulfúrico na água e no solo pode afetar sobremaneira estes ambientes pela mudança brusca de PH.


No mar, plancton e invertebrados bentônicos são mais sensíveis a mudanças de PH do que os peixes.
Os resíduos contendo ácido sulfúrico e impurezas são provenientes da Industria Química.


RESÍDUOS CONTENDO ENXOFRE O NEGRO DE FUMO


O enxofre pode causar irritação nas membranas mucosas quando inalado por um longo tempo. Ele tem propriedades fungicidas e quando aquecido emite fumos tóxicos de enxofre.


O negro de fumo é um pó irritante, obstrutivo e carcinogênico. É um contaminante comun do ar que por inalação prolongada causa cancer nos sinus nasais e pulmões.


Pode produzir câncer na pele quando o negro de fumo é contaminado por componentes do alcatrão.


RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS PERIGOSOS


Os processos industriais geram rejeitos alguns dos quais não são perigosos, pertencendo à categoria de resíduos sólidos, o resto. Estes resíduos sólidos perigosos necessitam cuidados especiais durante a sua eliminação.


As propriedades perigosas destas substâncias podem ser: explosivos, inflamáveis, oxidantes, tóxicos (veneno) agudos, substancias infecciosas, corrosivos e substancias tóxicas.


 Veja os desafios e compromissos que podem ser feitos pelo lixo!




Por Ian Mello de Oliveira